Bom dia meus queridos, quanto tempo!!!! Hoje voltamos as nossas atividades com um lindo vídeo de faça você mesmo. Vamos aprender a fazer o belo sapatinho para bebê você pode fazer para vender e também para presentear. É BEM FÁCIL DE FAZER COOORREEEE!




MATERIAS:


  • Molde do sapatinho
  • Feltro
  • Linha de costura
  • Agulha de costura
  • Tesoura
  • Cola universal
  • Meias pérolas - tamanho que você preferir. A mesma técnica pode ser utilizada para aplicação de rosas de fita.
     O passo a passo está no nosso vídeo no canal do You Tube! Aproveita e se inscreve para receber as novidades!! Beijos!



Feliz dia do Médico!!! uhuuuuu
Navegando na net achei a história do dia do médico e resolvi compartilhar aqui também, então confere aí!




FONTE: Portal São Francisco


O dia 18 de outubro foi escolhido como "dia dos médicos" por ser o dia consagrado pela Igreja a São Lucas. Como se sabe, Lucas foi um dos quatro evangelistas do Novo Testamento. Seu evangelho é o terceiro em ordem cronológica; os dois que o precederam foram escritos pelos apóstolos Mateus e Marcos.
Lucas não conviveu pessoalmente com Jesus e por isso a sua narrativa é baseada em depoimentos de pessoas que testemunharam a vida e a morte de Jesus. Além do evangelho, é autor do "Ato dos Apóstolos", que complementa o evangelho.
Segundo a tradição, São. Lucas era médico, além de pintor, músico e historiador, e teria estudado medicina em Antióquia. Possuindo maior cultura que os outros evangelistas, seu evangelho utiliza uma linguagem mais aprimorada que a dos outros evangelistas, o que revela seu perfeito domínio do idioma grego.
São Lucas não era hebreu e sim gentio, como era chamado todo aquele que não professava a religião judaica. Não há dados precisos sobre a vida de S. Lucas.
Segundo a tradição era natural de Antióquia, cidade situada em território hoje pertencente à Síria e que, na época, era um dos mais importantes centros da civilização helênica na Ásia Menor. Viveu no século I d.C., desconhecendo-se a data do seu nascimento, assim como de sua morte.
Há incerteza, igualmente, sobre as circunstâncias de sua morte; segundo alguns teria sido martirizado, vítima da perseguição dos romanos ao cristianismo; segundo outros morreu de morte natural em idade avançada. Tampouco se sabe ao certo onde foi sepultado e onde repousam seus restos mortais. Na versão mais provável e aceita pela Igreja Católica, seus despojos encontram-se em Pádua, na Itália, onde há um jazigo com o seu nome, que é visitado pelos peregrinos.
Não há provas documentais, porém há provas indiretas de sua condição de médico. A principal delas nos foi legada por São Paulo, na epístola aos colossenses, quando se refere a "Lucas, o amado médico". Foi grande amigo de São Paulo e, juntos, difundiram os ensinamentos de Jesus entre os gentios.
Outra prova indireta da sua condição de médico consiste na terminologia empregada por Lucas em seus escritos. Em certas passagens, utiliza palavras que indicam sua familiaridade com a linguagem médica de seu tempo. Este fato tem sido objeto de estudos críticos comparativos entre os textos evangélicos de Mateus, Marcos e Lucas, e é apontado como relevante na comprovação de que Lucas era realmente médico. Dentre estes estudos, gostaríamos de citar o de Dircks, que contém um glossário das palavras de interesse médico encontradas no Novo Testamento.
A vida de São Lucas, como evangelista e como médico, foi tema de um romance histórico muito difundido, intitulado "Médico de homens e de almas", de autoria da escritora Taylor Caldwell. Embora se trate de uma obra de ficção, a mesma muito tem contribuído para a consagração da personalidade e da obra de Sao Lucas.
A escolha de São Lucas como patrono dos médicos nos países que professam o cristianismo é bem antiga. Eurico Branco Ribeiro, renomado professor de cirurgia e fundador do Sanatório S. Lucas, em São Paulo, é autor de uma obra fundamental sobre São Lucas, em quatro volumes, totalizando 685 páginas, fruto de investigações pessoais e rica fonte de informações sobre o patrono dos médicos. Nesta obra, intitulada "Médico, pintor e santo", o autor refere que, já em 1463, a Universidade de Pádua iniciava o ano letivo em 18 de outubro, em homenagem a São Lucas, proclamado patrono do "Colégio dos filósofos e dos médicos".
A escolha de São. Lucas como patrono dos médicos e do dia 18 de outubro como "dia dos médicos", é comum a muitos países, dentre os quais Portugal, França, Espanha, Itália, Bélgica, Polônia, Inglaterra, Argentina, Canadá e Estados Unidos. No Brasil acha-se definitivamente consagrado o dia 18 de outubro como "dia dos médicos".



Oioioi todo muuundo!!!! Semana dos professores e eu quero trazer uma sugestão muito boa, prática e barata de presentear aqueles que contribuem para seu crescimento no mundo: os PROFESSORES!!! Uhuuuuu!
Desde minha época escolar eu gostava de homenagear meus professores, pelo simples fato de serem eles os responsáveis pelo meu crescimento educacional e social. Hoje, na faculdade vejo que a relação aluno professor é completamente diferente de quando estamos no colegial, porém, a importância desses profissionais é de extrema importância em qualquer circunstância. Entãããããão, o fato é: que homenagear os mestres é uma forma carinhosa de dizer obrigada, expressar gratidão por todo conhecimento partilhado. Busquei pela net ideias e achei umas muito fofas, mas como o Brasil está em crise (rsrsrsrs) achei umas caixinhas super fofas prontas para imprimir, que ficam lindas!!!



É só imprimir, recortar e colar!!! Dentro você pode colocar papel ceda picado e rechear com bombons e doces de sua preferência!! Para a caixinha da corujinha clique AQUI terá cada modelinho lindo!! Já para a caixinha de cubo clique AQUI . Diga a seu professor o quão grata és por todos os ensinamentos e sonhos que ele te faz acreditar!!! ;)

Excelente semana!!!
Oi oi todo muuundooo! Hoje eu estou aqui para falar da peça realizada ontem pelo meu grupo de Saúde Mental, abordando o assunto sobre antidepressivos. Quando a professora lançou os temas dos trabalhos disse logo que queria algo diferente e criativo, então decidimos optar mesmo para o teatro, embora sejamos tooodas amadoras, porém como a união faz a força, entre trancos e barrancos deu certo. Abaixo uma pequena abordagem do assunto e após clique no vídeo e assista a peça realizada pelo 6º período de Enfermagem da Faculdade Maurício de Nassau.


 Alunas do 6º período de Enfermagem, atrizes por um dia para falar de antidepressivos



Falando um pouco sobre os antidepressivos

 Foram descobertos na metade do século XX. Com o passar do tempo, novas classes de antidepressivos foram sendo desenvolvidas, e com a diminuição dos efeitos colaterais, o seu uso se popularizou. Não se sabe exatamente as causas da depressão, mas a concentração cerebral de algumas substâncias químicas, chamadas de neurotransmissores, estão envolvidas neste processo. As principais são a serotonina, a noradrenalina e a dopamina. A ação dos diferentes antidepressivos passam pela regulação dessas substâncias. Os antidepressivos se classificam de acordo com sua atividade no Sistema Nervoso Central (SNC). Acredita-se que o efeito antidepressivo se dê às custas de um aumento da disponiilidade de neurotransmissores no SNC, notadamente da serotonina (5-HT), da noradrenalina ou norepinefrima (NE) e da dopamina (DA). Ao bloquearem receptores 5HT2 os antidepressivos também funcionam como antienxaqueca. Os antidepressivos chamados de Inibidores Específicos da Recaptação da Serotonina (ISRS) são aqueles que não interferem ou interferem pouco nos demais neurotransmissores além da serotonina (5HT). Eles são menos perigosos que os tricíclicos e não causam efeitos secundários autónomos, mas são possivelmente menos eficazes em casos de depressão profunda. Os inibidores do transportador da serotonina são usados em depressão leve, ataques de ansiedade ou pânico, e distúrbio bipolar.

 Exemplos: 

CITALOPRAM Cipramil, Parmil, Procimax
FLUOXETINA Daforim, Deprax, Eufor, Fluxene, Nortec, Prozac, Verotina
NEFAZODONA Serzone
PAROXETINA Aropax, Pondera, Cebrilin
SERTRALINA Novativ, Tolrest, Zoloft, Serenata

 Antidepressivos Tricíclicos 

Os Antidepressivos tricíclicos são uma classe de fármacos usados no tratamento sintomático da depressão e outras síndromes depressivas. Eles têm esse nome devido a presença de três anéis de átomos.Os tricíclicos são usados no tratamento da depressão crônica ou profunda, e das fases depressivas na doença bipolar. Também usados no tratamento de dor neuropática (dor por disfunção nos neurônios das vias da dor) que não responde a opióides. Uma vez que os tricíclicos possuem efeito antiálgico, permitem que doses menores de analgésicos sejam empregadas. A analgesia possivelmente é oriunda de mudanças na concentração central de monoaminas, particularmente a serotonina, além do efeito direto ou indireto dos antidepressivos nos sistemas opióides endógenos. O mecanismo de ação envolvido na incontinência urinária possivelmente relaciona-se à atividade anticolinérgica, resultando no aumento da capacidade vesical, com estimulação direta beta-adrenérgica e atividade agonista alfa-adrenérgica, resultando em aumento do tônus esfincteriano e também por bloqueio central da recaptação. A ação antienurética da imipramina não está comprovada, mas possivelmente ela se relacione ao o efeito anticolinérgico desta. Na úlcera péptica, os tricíclicos reduzem a dor e contribuem na cicatrização completa uma vez que bloqueiam os receptores H2 da histamina nas células parietais e pelo efeito e anticolinérgico.

 Exemplo: 
Amitriptilina Clomipramina Desipramina: menos interferência no sistema nervoso autónomo (menos efeitos secundários). Mais especifico para transportador da noradrenalina.
Imipramina Nortriptilina: longa duração.
Doxepina 

Superdosagem dos Antidepressivos Triciclicos
 Os efeitos dos medicamentos desse grupo são mais notáveis no sistema nervoso central e periférico, com bloqueio dos sítios dos receptores de dopamina e inibição da recaptura de norepinefrina e serotonina com consequente aumento da concentração desses neurotransmissores na fenda sináptica. Produzem também um antagonismo competitivo dos receptores muscarínicos, alfa-adrenérgicos, serotoninérgicos e histamínicos. Interfere também na condução nervosa pelo bloqueio dos canais de sódio quando em altas concentrações. A causa mais frequente de óbitos por esses medicamentos é sua toxicidade cardíaca, explicada pela diminuição da condução elétrica cardíaca, bloqueio dos receptores muscarínicos, bloqueio dos receptores alfa-adrenérgicos induzindo vasodilatação, cardiotoxicidade induzida pela acidose metabólica concomitante, efeito depressor direto do miocárdio, entre outros. As manifestações clínicas dependem da dose ingerida, porém o número de comprimidos ingerido não é indicador de gravidade na intoxicação. Tem início em 30 a 40 minutos após a ingestão e pode ser uma síndrome bastante complexa, porém com manifestações anticolinérgicas evidentes. Podemos dividir em fases de intoxicação aguda: A primeira fase, que aparece no primeiro dia de intoxicação, se caracteriza por manifestações anticolinérgicas como mucosas secas, hipertermia, hiperemia, visão turva, taquicardia, excitação, delírios, alucinações, mioclonias, convulsões do tipo tônico-clônicas e outras distonias, além de midríase. A segunda fase aparece após o primeiro dia e pode durar até o terceiro dia, com um quadro de depressão dos estímulos neuroquímicos, com o aparecimento de diminuição do nível de consciência até coma, grau variável de depressão respiratória com consequente hipóxia, hiporreflexia, hipotensão e hipotermia. A terceira fase, que aparece após 72 horas, tem como característica o retorno do quadro de agitação, delírios e marcada síndrome anticolinérgica. As manifestações cardíacas podem surgir nas primeiras horas de intoxicação, mas com manifestações clínicas mais importantes nas fases subsequentes, em geral nos casos mais graves e incluem arritmias. A hipotensão é inicialmente por vasodilatação, mas pode evoluir por depressão miocárdica direta com posterior choque cardiogênico, edema agudo do pulmão e óbito. 

Superdosagem dos Antidepressivos Inibidores de Serotonina 
 Os antidepressivos inibidores seletivos de recaptação da serotonina são medicamentos de maior índice terapêutico, com menos efeitos colaterais e/ou tóxicos e por isso de utilização mais segura que os tricíclicos. As referências de doses tóxicas e letais mostram que estas são bastante altas, justificando o alto índice terapêutico. A síndrome serotoninérgica se vê em pacientes que tomam antidepressivos inibidores seletivos de recaptação da serotonina, medicamento usado para tratar a depressão, o transtorno do pânico e o transtorno obsessivo-compulsivo. Ela aparece também com derivados usados para tratamento da enxaqueca. No entanto, a síndrome resulta mais frequentemente de uma interação de drogas, quando dois ou mais agentes que aumentam a neurotransmissão serotoninérgica por diferentes mecanismos são administrados em combinação, ou em overdose. Ela é a consequência da estimulação excessiva dos receptores centrais e periféricos e seu diagnóstico não é dificultado pela falta de especificidade dos sinais clínicos. O modo de funcionamento do sistema serotoninérgico está diretamente ligado à complexidade dos receptores da serotonina e às diversas modificações que resultam da ativação desse sistema. Os sintomas mais comuns na superdosagem são: sinais anticolinérgicos, com sonolência, náuseas e vômitos, taquicardia, hipertensão, tremores, depressão do nível de consciência, convulsões, hipertermia, mucosas secas, retenção urinária e midríase; alterações de eletrocardiograma semelhantes às dos antidepressivos tricíclicos; a síndrome serotoninérgica, que pode ser dividida didaticamente em: leve, com manifestações de tremores, confusão mental, incoordenação, movimentos coréicos e midríase; moderada, com inquietude, agitação psicomotora, hiperreflexia, ataxia, rubor e diaforese; grave, com delírio, trismo, rigidez muscular, hipertermia, mioclonia e diarréia. Do ponto de vista clínico, algumas manifestações podem representar maior gravidade como: o coma, as crises epiléticas e a hipertermia. A evolução de outros pode servir como medida de melhora ou piora clínica – os tremores musculares, as mioclonias, a rigidez, a confusão mental ataxia e as convulsões.

 Assista a peça:



Outubro já chega fervendo com um lindo convite para dançar no lançamento do livro "Pra Dançar e Xaxar na Paraíba" de Rômulo Nóbrega e José Batista, o lançamento foi realizado no dia 01/10/2015 ás 20hs no antigo BNB clube, atual SESI, na cidade de Campina Grande, onde reuniu grandes personalidades da cultura campinense/nordestina como: Amazan, Biliu de Campina, Eloísa Olinto, Jessiê Quirino, Jurandir da Feira, Jorge Ribbas, Grupo de Cultura Nativa Tropeiros da Borborema, Inaldete Amorim, entre outros. A noite foi bem aconchegante, ao som do típico do forró pé de serra e outros ritmos da terra. “O livro Pra Dançar e Xaxar na Paraíba tem como foco Rosil Cavalcanti, no entanto abrange personagens que estiveram ao seu lado compondo, tocando, cantando, caçando e até mesmo fazendo raiva, levando ele a explodir. Pessoas com valores inestimáveis e quase na totalidade no anonimato, a maioria artistas locais que agora levamos à tona ao lado do biografado, fazendo assim justo reconhecimento”, escreve Rômulo Nóbrega na Apresentação do livro.
O Grupo de Cultura Nativa Tropeiros da Borborema abrilhanta a noite com os passos tradicionais das danças regionais como Xaxado, Xote, Forró Pé de Serra e Côco de Roda. Foi uma honra dançarmos neste evento!
A belíssima Eloísa Olinto e a bailarina Jéssica Araújo
Grupo de Dança Tropeiros da Borborema, representando o bando de Lampião
Os bailarinos Ideval Santos e Jéssica Araújo representando Lampião e Maria Bonita
Grandes ícones da música campinense, reunidos num só lugar mostrando quanto talento há na terrinha Paraíbana.
Representantes do Tropeiros da Borborema trouxeram nesta noite passos do autêntico forró pé de serra, Côco de roda e Xaxado
E assim começou meu outubro, beeem dançante e bem cultural em uma noite de grande estilo! Fiquem com Deus!


 
Mais uma segunda aí minha geeente!!!!!! E começamos bem a semana com a linda exibição da lua, foi espetacular e eu não conseguia parar de olhar. Aqui em casa fomos dormir às quase 2 horas da madrugada apreciando a beleza da super lua e seu eclipse lunar, como Deus é maravilhoso! Kalel achou o máximo a reunião familiar no fundo do quintal, foi o que mais se divertiu! Enfim, uma excelente semana a todos, e fiquem ligados nas novidades por aqui!
Fotos tiradas com minha câmera. Por que acontece o eclipse lunar? Como sabemos, a Lua orbita a Terra, e durante sua trajetória acontecem as fases da Lua. Quando a Lua está entre a Terra e o Sol, temos a fase nova, e quando a Terra está entre a Lua e o Sol, temos a Lua Cheia. De tempos em tempos, quando a Terra está entre a Lua e o Sol (Lua Cheia) o nosso planeta projeta sua sombra na superfície da Lua por conta de um alinhamento, e isso faz com que a Lua Cheia fique escura por alguns minutos. Já o eclipse solar acontece quando a Lua projeta sua sombra na Terra, ocultando o Sol e fazendo o dia virar noite. #eclipselunar #foilindo








Oooooooi todo muuundooo! Que saudades que eu estava de vir postar aqui e partilhar ideias com vocês!!!! Bom, dezembro chegando e com ele muitas comemorações, e o ano novo n minha casa vai ser diferente, pois iremos comemorar o aniversário do meu sobrinho lindo, com o tema fazendinha, e como o país ta em crise e nossos bolsos também estão, então eu mesma irei organizar as coisas para que seja uma festinha organizada, eis que hoje compartinho com vocês a ideia fácil e barata para fazer as lembrancinhas. Assiste o vídeo e segue o passo a passo!



Curte aí...

Jéssica Araújo. Tecnologia do Blogger.

Count

Pesquise aqui!

Quem escreve

Seguidores